Feeds:
Posts
Comentários

Archive for agosto \28\UTC 2010

Escrevo para apresentar uma das áreas onde realizamos pesquisas, na localidade das Pedras Brancas, em Lages, SC. O nome “Pedras Brancas” se deve ao fato da existência de grandes rochas aflorantes de arenito, esculpidas pelo vento, que conferem um aspecto muito peculiar à paisagem. O Rio Caveiras, afluente do Rio Canoas, passa  pelo local, com águas cristalinas e “congelantes”.  É uma região com grande potencial turístico, devido às belezas naturais. Nessa área existe um fragmento florestal, onde temos parcelas permantes alocadas, que totalizam 1 ha de área amostrada, com o objetivo de estudar a ecologia da comunidade e de populações de espécies arbóreas. A altitude aproximada é de 1000m, os solos são formados a partir do arenito e a vegetação predominante é de Floresta Ombrófila Mista Montana, de acordo com a classificação do IBGE, também conhecida como Floresta de Araucária. A pesquisa foca, principalmente, na caracterização dos padrões florísticos e estruturais do componente arbóreo e como estes padrões variam em função da heterogeneidade ambiental existente. Essas informações são relevantes, pois podem subsidiar várias atividades, como, por exemplo, programas de restauração ecológica de áreas degradadas na região. Seguem algumas fotos da área:
Algumas das rochas aflorantes de arenito que dão nome a localidade de Pedras Brancas
Rio Caveiras e o fragmento florestal estudado

Fragmento florestal estudado
Estrada de acesso
Anúncios

Read Full Post »

Foto: Daniel Kinpara

Uma das etapas fundamentais e mais importantes para quem trabalha com florestas ou, mais especificamente, árvores é o correto reconhecimento da identidade botânica das espécies arbóreas. Esta etapa é essencial para o uso adequado dos recursos florestais, para o manejo de florestas visando sua exploração de forma sustentável, para a conservação de áreas naturais e para a restauração de áreas degradadas. No entanto, se realizada de forma inadequada, podem existir consequências desastrosas, como, por exemplo, na indicação de espécies para o reflorestamento ou para serem utilizadas na arborização urbana, na comercialização  de madeira e no uso de árvores com o propósito medicinal.
A elevada riqueza das florestas brasileiras torna essa tarefa um tanto complexa e desafiante. Em um estudo na Amazônia equatoriana foram encontradas 1.200 espécies arbóreas e arbustivas em 50 ha de floresta.  Na região onde trabalhamos, Planalto Sul Caterinense, considerando uma área amostral de 1 ha, temos encontrado uma riqueza variando de 50 a 95 espécies arbóreas. A família com maior número de espécies por aqui é Myrtaceae, a mesma da goiaba, ocorrendo também como de maior riqueza em vários estudos na Mata Atlântica.
Como na maior parte do ano, não é comum encontrarmos as árvores com material fértil (flores e frutos) na floresta, é necessária uma forma rápida e confiável de reconhecer as espécies a partir de características vegetativas (e.g. folhas, ramos, troncos, forma da árvore) e organolépticas (cheiro e sabor). A Dendrologia (do grego dendro  = árvore e  logia = estudo)  é o ramo da Engenharia Florestal e Botânica que supre essa necessidade. Dentre seus principais objetivos destacam-se  (Little, 2002):

  • Nomenclatura de árvores – Como as árvores são nomeadas por meio da nomenclatura científica, nomes comuns e termos botânicos;
  • Classificação de árvores – As características das principais famílias botânicas e como as árvores são classificadas em famílias, gêneros e outros grupos;  
  • Reconhecimento de árvores – Reconhecimento de espécies arbóreas a partir de suas características morfológicas, chaves e manuais; 
  • Distribuição das árvores – Como as árvores são distribuídas nas zonas climáticas e formações florestais; 
  • Importância das espécies florestais – A importância ecológica e econômica de espécies arbóreas.

Futuramente procuraremos abordar outros aspectos da Dendrologia.

Referências:

LITTLE JR, E.L. Notes on tropical dendrology. pp.221-236 In: Tropical tree seed manual. Vozzo, J.A. (Ed.) US Dept. of Agriculture, Forest Service. 2002.

Read Full Post »

Publicamos recentemente um artigo que mostra a relação entre a flutuação do lençol freático e os padrões de riqueza e de estrutura da comunidade arbórea em fragmentos aluviais no sul de Minas Gerais.
Assim como a maior parte da Mata Atlântica, as florestas aluviais foram intensamente perturbadas ao longo da história de nosso país, em função de se localizarem próximas de cursos de água, em áreas com a presença normalmente de solos de maior fertilidade e com relevo mais plano, características favoráveis à agricultura. Além disso, devido a água ser um recurso essencial à vida, muitas cidades se originaram nestes locais, contribuindo para sua degradação. Para o subsídio de ações que visem a restauração de florestas aluviais, é fundamental um maior conhecimento sobre a ecologia de comunidades de espécies arbóreas.  Dentre os fatores ambientais que influenciam o componente arbóreo neste tipo de ambiente, destaca-se a flutuação do lençol freático, como ficou evidenciado no presente artigo. Segue a referência e o resumo do mesmo:

SILVA, AC.; HIGUCHI, P.; VAN DEN BERG, E.. Effects of soil water table regime on tree community species richness and structure of alluvial forest fragments in Southeast Brazil. Braz. J. Biol.,  São Carlos,  v. 70,  n. 3, Aug.  2010 . 

ABSTRACT
In order to determine the influence of soil water table fluctuation on tree species richness and structure of alluvial forest fragments, 24 plots were allocated in a point bar forest and 30 plots in five forest fragments located in a floodplain, in the municipality of São Sebastião da Bela Vista, Southeast Brazil, totalizing 54, 10 × 20 m, plots. The information recorded in each plot were the soil water table level, diameter at breast height (dbh), total height and botanical identity off all trees with dbh > 5 cm. The water table fluctuation was assessed through 1 m deep observation wells in each plot. Correlations analysis indicated that sites with shallower water table in the flooding plains had a low number of tree species and high tree density. Although the water table in the point bar remained below the wells during the study period, low tree species richness was observed. There are other events taking place within the point bar forest that assume a high ecological importance, such as the intensive water velocity during flooding and sedimentation processes.
Keywords: Atlantic Forest, tree species, water saturation, wetlands.

RESUMO:
Com o propósito de avaliar a influência da flutuação do nível freático do solo sobre a riqueza de espécies arbóreas e a estrutura de fragmentos florestais aluviais, foram alocadas 24 parcelas em um dique marginal de floresta ciliar e 30 parcelas em cinco fragmentos localizados na planície de inundação no Município de São Sebastião da Bela Vista, na região sudeste do Brasil, totalizando 54 parcelas de 10 × 20 m. As informações coletadas em cada parcela foram: altura do nível freático do solo, diâmetro à altura do peito (DAP), altura total e identificação botânica de todas as árvores com DAP > 5 cm. A flutuação do nível freático foi avaliada por meio de um poço de observação enterrado a uma profundidade de 1 m em cada parcela. Análises de correlação indicaram que, na planície de inundação, os locais com o nível freático do solo mais superficial possuíram menor número de espécies arbóreas e maior densidade de árvores. Apesar do dique marginal da floresta ciliar apresentar o nível freático no solo abaixo de 1 m de profundidade durante o período de estudo, nesse local foi observada baixa diversidade de espécies arbóreas. No dique marginal existem outros eventos com maior importância ecológica que podem explicar a baixa diversidade, tais como a velocidade do rio mais intensa durante enchentes e o processo de sedimentação.

Palavras-chave: Floresta Atlântica, espécies arbóreas, saturação hídrica, áreas inundáveis.

Read Full Post »